Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Lume Brando

01
Ago19

Rolos de limテ」o e baunilha [Diz-me o que lテェs, dir-te-ei o que comes #4]

Rolos de limテ」o e baunilha

Livro "Pテ」o Caseiro"

Rolos de limテ」o e baunilha

Mais uma semana, mais um livro, mais uma receita!

Esta テゥ jテ。 a 4ツェ ediテァテ」o do "Diz-me o que lテェs, dir-te-ei o que comes", uma rubrica Lume Brando com o apoio da Livraria Bertrand [em cuja loja online podem encontrar todos os livros de que falo aqui!]

Apesar de nテ」o ser algo que faテァa com regularidade, gosto muito de cozer pテ」o em casa. E os livros com receitas de pテ」o exercem sobre mim um poder especial. Fico sempre a sonhar com o dia em que vou ter tempo para cozer fornadas e fornadas de pテ」es maravilhosos. Ainda por cima, o livro de hoje, da autoria da sueca Maria Blohm, tem uma capa linda, que chama imenso a atenテァテ」o. Tテ」o difテュcil resistir a levテ。-lo para casa, como dizer 'nテ」o' a uma fatia de pテ」o fresco barrada com manteiga...

Livro "Pテ」o Caseiro"

"Diz-me o que lテェs, dir-te-ei o que comes" #4

"Pテ」o Caseiro" - Maria Blohm - ArtePlural Ediテァテオes

"Mas a receita nas fotos nテ」o テゥ um pテ」o!", exclamam vocテェs e com razテ」o. テ que o livro tem muito mais do que receitas variadas de pテ」o: tem imensos pテ」es "doces", como estes rolos de limテ」o e baunilha, mais do que uma receita de croissants, tem alguns bolos suecos, focaccia e massas de pizza.

[Na verdade, tambテゥm jテ。 experimentei uma receita de pテ」o deste livro - "Bolas com Alperces e Nozes", que ontem partilhei no Instagram e que publicarei aqui noutro post].

Informaテァテ」o テコtil! O livro tem ainda um capテュtulo dedicado a receitas de pテ」o e bolinhos sem glテコten - de pテ」o de hambテコrguer a tortilhas, passando por rolinhos de canela - o que pode ser bastante テコtil, mesmo que nテ」o tenhamos necessidade de eliminar o glテコten da nossa dieta.

Rolos de limテ」o e baunilha

Se a ideia de fazer pテ」o vos assusta devido ao tempo de repouso das massas, este livro abre uma nova e risonha perspetiva: テゥ que apesar do livro tratar de fermentaテァテオes lentas (o que permite acentuar os sabores e as texturas), o tempo de fermentaテァテ」o das receitas permite-nos inserir facilmente o hテ。bito de cozer pテ」o nas nossas rotinas: preparar a massa テ noite para cozer de manhテ」 ou preparar de manhテ」 para cozer antes do jantar, por exemplo.

O テコnico senテ」o do livro テゥ o facto de em Portugal as farinhas disponテュveis nos supermercados serem um pouco diferentes das farinhas utilizadas pela autora. Na versテ」o portuguesa do livro apenas surge o nome traduzido das farinhas, mas nテ」o nos テゥ dito nada sobre como substituir essa farinhas.

Por exemplo: a farinha de trigo mais utilizada pela autora テゥ "farinha especial". Ora, que eu tenha conhecimento, nテウs nテ」o temos nenhuma farinha com este designaテァテ」o a ser comercializada por cテ。. Maria Blohm explica que テゥ uma mistura entre farinha proveniente do trigo do outono e farinha do trigo da primavera, mas isso nテ」o nos ajuda muito. Outra farinha pedida em algumas receitas, テゥ a "farinha de trigo duro", que eu sテウ conheテァo por ser o ingrediente das massas secas.

Rolos de limテ」o e baunilha

Um pouco perdida na hora de pテエr a mテ」o na massa, resolvi enviar uma mensagem via IG テ autora. Que foi muito simpテ。tica e me disse que a principal caracterテュstica da "farinha especial" era ter um percentagem maior de proteテュna (11% a 12%), quando comparada com a farinha dos bolos (9-10%). Disse-me que poderia substituir por uma "strong flour" ("farinha forte", outra designaテァテ」o que nテ」o temos) ou, em テコltimo caso, para usar a farinha que eu jテ。 costumava usar para fazer pテ」o. Por curiosidade, fui consultar o rテウtulo da farinha T65 que tinha em casa (a farinha que mais uso para pテ」o e massas de pizza) e a percentagem de proteテュna era de 10% (exatamente igual テ da farinha T55, a dos bolos...).

Ok, nテ」o hテ。 de ser nada, vamos a isso. Toca a fazer as receitas com as farinhas disponテュveis.

E nテ」o テゥ que apesar de ter achado que as massas ficaram um pouco pegajosas (tanto as destes rolos de limテ」o, como a do pテ」o de alperce e nozes que mostrei no Instagram), a coisa acabou por correr mesmo bem? Saテュram テウtimos, com textura e sabor aprovadテュssimos.

Por isso, a minha mensagem para quem tem ou quer comprar este livro, テゥ a de que as receitas valem a pena, mesmo que a coisa pareテァa que vテ。 descarrilar... mantenham a calma e a confianテァa, continuem a receita mesmo que tenham de juntar um pouco mais de farinha (sem exagerar!) e vテ」o ver que os pテ」es e os bolos irテ」o sair deliciosos.

[Atualizaテァテ」o - a farinha de espelta que tenho em casa tem 12% de proteテュna. Acho que a partir de agora vou usar esta, sempre que as receitas do livro pedirem "farinha especial"].

Livro "Pテ」o Caseiro"

Resumindo:ツ"Pテ」o Caseiro" テゥ um livro com um design simples mas bastante atrativo, e fotografias (para todas as receitas) muito cuidadas e bonitas. テ um livro sobre "fermentaテァテオes lentas", ainda que as receitas peテァam apenas fermento fresco ou seco e nテ」o "isco" ou "massa-mテ」e". No inテュcio a autora tece algumas consideraテァテオes sobre os ingredientes e explica porque テゥ importante darmos tempo テs massas para levedar. Sテ」o cerca de 50 receitas variadas, apelativas e relativamente bem descritas, incluindo algumas receitas sem glテコten. Algumas farinhas e ingredientes poderテ」o ser difテュceis de encontrar, mas nテ」o me parece complicado adaptar e substituir por farinhas e ingredientes mais comuns.

Para saber mais sobre o livro "Pテ」o Caseiro" >>>> Livraria Bertrand Online

Vamos テ receita de rolos de limテ」o e baunilha?

Rolos de limテ」o e baunilha

ROLOS DE LIMテグ E BAUNILHA

[ligeiramente adaptado do livro "Pテ」o Caseiro", de Maria Blohm]

Rende 12 rolos grandes - 10 a 12h de levedaテァテ」o

Para a massa:

250 ml de leite frio

1/4 de colher de chテ。 de fermento seco de padeiro (granulado)

75 g de aテァテコcar

50 g de queijo quark

25 g de manteiga テ temp. ambiente

1/4 de colher de chテ。 de sal

25 g de farinha de espelta

425 g de farinha T65

Para o recheio:

75 g de manteiga テ temp. ambiente

1/2 colher de sopa de aテァテコcar baunilhado

1 pitada de sal

50 g de aテァテコcar

Raspas de meio limテ」o

Para a cobertura:

75 g de aテァテコcar em pテウ

Sumo de limテ」o qb

De vテゥspera, prepare a massa.

Pese o leite na taテァa da batedeira e incorpore nele o fermento.

De seguida, pese os restantes ingredientes diretamente para a taテァa, colocando a balanテァa a zeros entre cada ingrediente.

Mexa a massa com o gancho da batedeira durante 5 minutos (ou amasse テ mテ」o durante 10 minutos).

Numa taテァa, misture bem os ingredientes do recheio.

Transfira a massa para uma superfテュcie enfarinhada (polvilhe as mテ」os e junte um pouco mais de farinha na massa, sem exagerar, se achar que estテ。 pegajosa).

Polvilhe o rolo e estenda a massa num retテ「ngulo com cerca de 30 cm x 15 cm.

Barre a massa com o recheio, deixando um pouco de margem livre テ volta.

Enrole a massa (ao comprimento) e divida em 12 rolos.

Coloque-os num tabuleiro forrado com papel vegetal nテ」o demasiado apertado (os rolos vテ」o aumentar de volume).

Cubra os rolos com um pano e depois envolva o tabuleiro num saco plテ。stico.

Aponte as horas num post-it e cole no saco: assim, no dia seguinte sabe a que horas pode pテエ-los no forno. Deixe a levedar テ temperatura ambiente entre 10h a 12h.

______________

Na manhテ」 seguinte, apテウs as 10h-12 horas de fermentaテァテ」o (a margem de 2 horas estテ。 relacionada com a temperatura ambiente - se estiver ameno vai precisar de cerca de 10h, se estiver mais frio irテ。 precisar das 12h), prテゥ-aqueテァa o forno nos 230ツコ com a ventoinha ligada.

Tire o tabuleiro do saco, retire o pano e leve ao forno durante cerca de 13 minutos.

Se achar que estテ。 a dourar muito depressa, cubra com vegetal ou alumテュnio (eu reparei um pouco tarde 沽).

Entretanto prepare o glacテゥ da cobertura: coloque o aテァテコcar em pテウ numa taテァa e vテ。 regando com sumo de limテ」o e mexendo, atテゥ obter um creme branco brilhante e sem grumos.

Retire os rolos do forno e deixe arrefecテェ-los durante algum tempo antes de espalhar o glacテェ.

Post realizado com o apoio da Livraria Bertrand.

SE GOSTA DESTA RUBRICA, VAI GOSTAR TAMBテ窺 DESTES POSTS:

24
Abr19

Madalenas com pepitas de chocolate [das boas memテウrias]

madalenas_pepitas_chocolate3_bx.jpg

Madalena. Nome de mulher, de localidade, de bolo. E テゥ nome de bolo - ou bolinho - por causa de uma mulher. Da mulher que criou estes pedaテァos de cテゥu doces e esponjosos. Ainda que haja vテ。rias lendas sobre a origem desta especialidade francesa, uma das estテウrias mais vezes contada テゥ a de que foi uma jovem chamada Madeleine, que trabalhava para o Duque de Lorena, ex-monarca polaco a viver em Franテァa nos inテュcios do sテゥculo XVIII, que as comeテァou a fazer seguindo uma receita da sua avテウ.

O sucesso dos bolinhos entretanto batizados de "madeleines" foi tal, que Luテュs XV teve que os provar numa visita テ regiテ」o, levando a receita consigo de volta a Versalhes. Rapidamente se popularizaram e hoje テゥ um dos sテュmbolos gastronテウmicos franceses. A histテウria pode nテ」o ter ser sido exatamente assim, mas o certo テゥ que o culto das madalenas em Franテァa se enraizou e internacionalizou definitivamente no princテュpio do sテゥculo XX, quando Marcel Proust, na sua obra "Em busca do tempo perdido", descreve poeticamente como uma simples madalena que mergulhou no chテ。 o fez regressar テ infテ「ncia, despertando-lhe as mais doces recordaテァテオes dessa altura.

E boas memテウrias テゥ tambテゥm o que prometo que estas madalenas com pepitas de chocolate irテ」o deixar em quem as comer. Muito fテ。ceis e rテ。pidas de fazer, tテェm ainda outra alteraテァテ」o em relaテァテ」o テ receita tradicional: sテ」o feitas com azeite em vez de manteiga. Na verdade, estas pequenas conchas prestam-se a vテ。rias versテオes, incluindo salgadas, como テゥ o caso destas madalenas de bacon e ervas (e no meu livro hテ。 uma receita de madalenas de tomate seco e manjericテ」o).

Com ou sem pepitas, com ou sem frutos secos, com manteiga ou com azeite, doces ou salgadas: a sua forma テコnica e delicada e o seu tamanho perfeito, fazem das madalenas uma daquelas confeテァテオes a que queremos voltar vezes sem conta. E com a primavera em pausa, nem sequer sテ」o precisas desculpas para ligar o forno e preparar uma fornada destas belezas...

madalenas_pepitas_chocolate5.jpg

MADALENAS COM PEPITAS DE CHOCOLATE

Adaptado da revista Saveurs - Spテゥcial Desserts 2013

Para cerca de 27 madalenas

150 g de farinha sem fermento

140 g de aテァテコcar

110 ml de azeite extravirgem suave

2 ovos

1/2 colher de cafテゥ de extrato de baunilha

1 pitada de sal

100 g de pepitas de chocolate negro

Aテァテコcar em pテウ para polvilhar (opcional)

Ligar o forno nos 180ツコ e untar/polvilhar muito bem os tabuleiros de madalenas (normalmente cada tabuleiro tem 9 cavidades).

Bater os ovos com a baunilha, o aテァテコcar e o sal atテゥ ficar esbranquiテァado.

Peneirar a farinha diretamente para a taテァa da mistura anterior e envolver com cuidado.

Por fim, envolver o azeite e as pepitas de chocolate.

Dividir pelas cavidades das formas e levar a cozer durante cerca de 15 minutos - vテ。 vigiando.

テ opcional, mas pode-se polvilhテ。-las com aテァテコcar em pテウ depois de arrefecidas.

MAIS RECEITAS DE MADALENAS E QUEQUES:

30
Nov18

Galette ou tarte rテコstica de maテァテ」 [e a 1ツェ resoluテァテ」o para 2019]

galette_maca_2.jpg

galette_maca_7.jpg

Esta tarte fez muito sucesso quando partilhei as fotos no Instagram, por isso, apesar de ter demorado um pouco, aqui estテ。 a receita. Foi uma experiテェncia de impulso. Tinha muitas maテァテ」s cテ。 em casa, queria fazer algo bonito mas reconfortante, e lembrei-me de ir repescar uma receita de massa de galette que jテ。 andava aqui no blogue. Jテ。 tinha feito galettes com vテ。rias frutas mas nunca com maテァテ」.

Na massa da que trago hoje, em vez de juntar テ farinha "normal" (farinha de trigo sem fermento) farinha de amテェndoa, como fiz na galette de morangos balsテ「micos, resolvi juntar um pouco de farinha de trigo integral. Foi uma alteraテァテ」o pequena e ficou igualmente deliciosa.

E isso fez-me pensar que faテァo isto muitas vezes: partir de uma receita jテ。 testada e fazer-lhe ligeiras alteraテァテオes. Digamos que テゥ uma estratテゥgia de minimizaテァテ」o de riscos: uma maneira de variar, sem pテエr em causa o resultado final. Porque se hテ。 dias em que me apetece ser mais ousada e experimentar algo realmente novo, hテ。 outros em que jogar pelo seguro me parece a decisテ」o mais acertada (ainda que com maテァテ」s, seja difテュcil alguma receita correr mal).

Resoluテァテ」o para 2019 (jテ。 podemos comeテァar a enumerテ。-las, certo?): desafiar-me em termos culinテ。rios e experimentar novas receitas e pratos clテ。ssicos que atテゥ agora nunca me deu para fazer, tipo Bouef Bourguignon. Por acaso lembrei-me agora que cozinhei ossobuco hテ。 pouco tempo, pela primeira vez, mas nテ」o fotografei porque foi ao jantar. Tambテゥm estテ」o na lista: ceviche, dumplings,ツbife wellington, cannolis, Paris-Brest... e podia continuar ;)

E por aテュ? Gostam de inovar e pegar sempre em receitas diferentes, ou sテ」o fテ」s daquelas que jテ。 fazem de olhos fechados e nunca falham?

Bom fim de semana!

galette_maca_4.jpg

GALETTE DE MAテテ

Para a massa:

120 g de farinha s/ fermento

30 g de farinha integralツ

50 g de manteiga fria partida em pedaテァos

1 colher de chテ。 de aテァテコcar amarelo

1 ovo pequeno

Para o recheio:

5 maテァテ」s ( mais uma, menos uma, dependendo do tamanho)

Sumo de 1/2 limテ」o

4 colheres de sopa de aテァテコcar amarelo

1 colher de sopa bem cheia de farinha s/ fermento

Uma boa pitada de canela

Uma pitada de noz moscada ou cardamomo (opcional)

1 colher de sopa de manteiga

1 colher de sopa de flocos de aveia grossos

Leite para pincelar a massa

Doce de pテェssego ou geleia (opcional)

Comece por fazer a massa: coloque todos os ingredientes numa taテァa grande e amasse com as pontas dos dedos atテゥ obter uma massa moldテ。vel. Forme uma bola achatada, envolva em pelテュcula aderente e leve a frigorテュfico durante cerca de 30 minutos.

Entretanto lave, descasque e fatie finamente as maテァテ」s. Vテ。 colocando as fatias numa taテァa, regando com o sumo de limテ」o. Junte o aテァテコcar, as especiarias, a aveia e a farinha (a farinha vai ajudar a engrossar os sucos das maテァテ」s, conferindo cremosidade テ tarte), envolva bem.ツ

Ligue o forno nos 170ツコ.

Retire a massa do frio e estique sobre uma superfテュcie enfarinhada, dando-lhe uma forma arredondada. Espalhe as fatias de maテァテ」, deixando um rebordo livre de massa a toda a volta, de cerca de 2,5 cm. Vire o rebordo de massa de forma a selar a galette, pressionando um pouco. Espalhe pedacinhos de manteiga por toda a tarte. Pincele o rebordo da massa com leite.

Leve a cozer durante cerca de 45/50 minutos ou atテゥ a massa estar bem dourada e firme ao toque. Antes de servir, pode pincelar com geleia ou doce de pテェssego, para ficar mais brilhante.

テ boa de qualquer maneira: morna ou fria, sozinha ou com gelado de baunilha, ao lanche ou ao pequeno-almoテァo!

MAIS RECEITAS COM MAテテ:

12
Nov18

Bolo de maテァテ」 com molho de caramelo salgado [e o aconchego que o outono pede]

bolo-maca_7.jpg

bolo-maca_2.jpg

macas_still_life_1.jpg

Veio mais tarde do que se esperava, mas chegou. Comeテァou algo tテュmido, mas este fim de semana mostrou a sua raテァa. Falo do outono, essa estaテァテ」o que faz a natureza vestir-se de mil tons de castanho, laranja e dourado.

Ainda que goste muito do verテ」o, pela atmosfera descontraテュda e leve que traz, as minhas estaテァテオes favoritas sテ」o as de transiテァテ」o, a primavera e o outono. Se por um lado costumam ser mais meigas no que テ meteorologia diz respeito, por outro reservam para si as cores mais bonitas do ano, seja sob a forma de flores viテァosas ou de folhas テ merテァテェ do vento.

E depois temos os frutos e legumes da テゥpoca, aguardados com mais expectativa e emoテァテ」o na primavera e no outono, por romperem com a estaテァテ」o que se despede.

Como acontece quase sempre por esta altura, tambテゥm este ano me chegou cテ。 a casa uma caixa de maテァテ」s vindas de Trテ。s-os-Montes. E por muito boas e doces que sejam para comer ao natural, a verdade テゥ que o forno chama por mim e diz-me que o melhor テゥ gastar algumas em bolos e sobremesas, nテ」o vテ。 o diabo tecテェ-las (ler "apodrecテェ-las" - o que seria tテ」o lamentテ。vel quanto altamente improvテ。vel).

Assim, com o forno ligado e um cheirinho bom a invadir a casa テゥ mais fテ。cil esquecer que o outono tem um lado b (e que o mundo podia ser um lugar bem mais bonito). Quando chove, faz frio ou o dia estテ。 da cor do chumbo, agarro-me ao aconchego das receitas de forno, seja um bolo, uma tarte ou um assado suculento.

E vocテェs? Qual a vossa receita favorita para quando bate aquele desconfortozinho dos dias cinzentos? Aposto que este bolo de maテァテ」 com molho de caramelo salgado podia ir para a vossa lista ;)

bolo-maca_5.jpg

BOLO DE MAテテ COM MOLHO DE CARAMELO SALGADO

Chテ。vena = 250 ml de capacidade

2 maテァテ」s grandes raladas em cru

3/4 de chテ。vena de aテァテコcar amarelo

1 chテ。vena mal cheia de azeite extravirgem

4 ovos (de preferテェncia caseiros ou biolテウgicos - o bolo fica mais hテコmido)

1 colher de cafテゥ de essテェncia de baunilha

2 chテ。venas rasas de farinha sem fermento

2 colheres de chテ。 de fermento em pテウ

1,5 colheres de chテ。 de bicarbonato de sテウdio

1 boa pitada de canela

Prテゥ-aqueテァa o forno nos 180ツコ.

Unte muito bem/polvilhe com farinha uma forma de "bundt" (forma redonda com chaminテゥ).

Numa taテァa, junte os ovos, o azeite, o aテァテコcar amarelo, a maテァテ」 ralada e a baunilha.

Noutra taテァa, junte a farinha, o fermento, o bicarbonato e a canela.

Vテ。 juntando, aos poucos, os secos テ mistura de lテュquidos.

Verta na forma e leve a cozer durante cerca de 40 minutos ou atテゥ um palito sair seco.

Retire do forno e desenforme com cuidado (eu passo uma faca de manteiga pelas laterais da forma e pela chaminテゥ, de forma a descolar o bolo e a garantir que sai direitinho. Leve a arrefecer sobre uma rede forrada com papel vegetal ou sobre o prato de servir. Deixe arrefecer.

Molho de caramelo salgado

(receitas no meu livro "Estava Tudo テ鍍imo!")

Versテ」o rテ。pida:

12 caramelos de nata

テ“ua qb

1 pitada de sal ou flor de sal

Leve os caramelos ao lume num tachinho de fundo espesso. Junte cerca de uma colher de sopa de テ。gua e vテ。 mexendo com o batedor de varas, atテゥ os caramelos estarem derretidos. Se achar que estテ。 muito espesso, junte mais um pouco de テ。gua 窶 a ideia テゥ obter um molho de caramelo nem muito grosso, nem muito fluテュdo. Tempere com o sal e estテ。 pronto a usar.

Versテ」o normal:

3 colheres de sopa de aテァテコcar (branco, amarelo ou de coco)

3 colheres de sopa de テ。gua

3 colheres de sopa de natas

1 pitada de sal ou flor de sal

Leve o aテァテコcar e a テ。gua ao lume num tacho de fundo espesso. Tape, para manter a humidade e assim o aテァテコcar nテ」o cristalizar. Passado cerca de 10 minutos, levante a tampa e vテ。 vigiando a cor do caramelo, tapando e destapando, sem nunca cair na tenテァテ」o de mexer. Desligue assim que tiver adquirido um tom dourado テ「mbar e sentir o cheiro bom do caramelo. Lembre-se que se deixar demasiado tempo ao lume e ficar demasiado escuro, vai ficar com sabor amargo. Junte as natas com cuidado (vai borbulhar bastante) e mexa bem com um batedor de varas. Junte o sal, volte a mexer, e estテ。 pronto a usar.

Acrescentado em 20/11/2018: para este bolo, aconselho a dobrar qualquer uma das receitas de caramelo.

Notas:

- Qualquer um dos caramelos fica mais espesso com o passar do tempo. Se nテ」o for usテ。-lo de imediato, talvez necessite de o aquecer na hora e juntar mais um pouco de テ。gua ou de natas;

- Outra tテゥcnica para que o aテァテコcar nテ」o cristalize quando estテ。 a caramelizar テゥ manter ao pテゥ do fogテ」o uma taテァa com テ。gua e um pincel e ir pincelando com テ。gua as laterais internas do tacho, junto ao aテァテコcar.

bolo-maca_4.jpg

MAIS RECEITAS COM MAテテ:

26
Out18

Waffles sem glテコten, sem lactose e sem aテァテコcar refinado [para ver se animo as estatテュsticas]

waffles_2.jpg

waffles_3.jpg

Se テゥ a primeira vez que passam por aqui e acham que este テゥ um blogue sテウ com receitas saudテ。veis, lamento desiludir-vos. Este テゥ um blogue que tem um pouco de tudo, tal como a dieta que seguimos cテ。 em casa.

Hoje calharam estes waffles super healthy, da prテウxima vou trazer um bolo assim para o pecaminoso, para assinalar o Halloween. Umツblogue bipolar,ツportanto. Tal como a sua dona (em termos de comida, entenda-se). Tanto sou feliz a comer uma lasanha de quinoaツe a terminar a refeiテァテ」o com fruta, como a espetar o garfo nestasツalmテエndegas demonテュacas e a rematar com uma colherada disto.

Mas calma, tento refrearツos meus desejos pelo segundo menu. Atテゥ porque tenho dois rapazes prテゥ-adolescentes em casa e sei o quテ」o importante テゥ dar-lhes bons exemplos テ mesa.

Confesso que aoツpequeno-almoテァo nem sempre consigo honrarツa bipolaridade, ou seja, quebrar a rotina e alternar entre as opテァテオes favoritas (menos saudテ。veis) e as mais nutritivas. O hテ。bito テゥ uma coisa tramada, sテウ vos digo. E quem me tira a meia de leite e o pテ」ozinho com manteiga tira-me tudo.

Pode ser que a torradeira que a minha mテ」e me ofereceu a semana passada, que inclui moldes para waffles, ajude nesse processo (ainda que a trabalhadeira que tive a limpテ。-la depois desta primeira experiテェncia me deixe desanimada). テ que esta receita, que encontrei aqui, テゥ mesmo rテ。pida, fテ。cil e, vejam sテウ, saudテ。vel. Bingo!

Estes waffles nテ」o levam muito mais a nテ」o ser ovos, farinha de amテェndoa e mel. No fundo, sテ」o uma espテゥcie de omelete mais consistente. Ficaram muito fofos e gostosos (e lindos, nテ」o acham?).

E pronto, por alguns tempos, podemos fingir que este テゥ um blogue muito bem comportado, sテウ comツcom receitas saudテ。veis eツfit, daquelas de que toda a gente anda テ procura.

(Nテ」o digam a ninguテゥm, mas a seguir vou testar a torradeira com uma receita de waffles belgas, daqueles de Liティge, bem doces, amanteigados e com as pontas crocantes como os de compra 沽)

waffles_4.jpg

WAFFLES LEVES E SAUDテ〃EIS

Sem glテコten, sem aテァテコcar refinado e sem lactose

(Receita original no blogue 2 Cookin' Mamas)

Para 2 waffles

1/2 chテ。vena de farinha de amテェndoa (eu moテュ amテェndoa sem pele na Bimby)

2 ovos

1/2 colher de chテ。 de bicarbonato de sテウdio

1,5 colheres de sopa de mel de rosmaninho (ou a gosto)

2 gotinhas de extrato ou essテェncia de baunilha (opcional)

1 pitada de canela (opcional)

1 pitada de sal

Azeite qb para untarツos moldes

Misture todos os ingredientes, テ exceテァテ」o do azeite, num robot de cozinha ou com a varinha mテ。gica.

Aqueテァa a torradeira com os moldes para waffles ou a mテ。quina de waffles. Quando estiver bem quente, pincele as placas com azeite.

Verta a massa para os moldes - atenテァテ」o que se colocar demasiada massa vai acabar por sair por fora.

Feche a mテ。quina e, ao fim de uns 4 minutos, confira o ponto de cozedura: esta テゥ uma massa que coze muito depressa.

Retire e sirva ainda morno com fruta e um fio de mel ou outro topping a gosto.

OUTRAS RECEITAS PARA LANCHE E PEQUENO-ALMOテO:

19
Out18

Pテ」o de milho e espelta [para comer tambテゥm com os olhos]

pao_milho_6.jpg

Nテ」o sou especialista em pテ」o caseiro, ainda queツde vez em quando goste de fazer algumas experiテェncias, inspirada sobretudo pelas imagens incrテュveis de pテ」o com que テs vezes me deparo no Instagram. Uma cテエdea dourada que indicie crocテ「ncia, um desenho na massa que reveleツoriginalidade (e dotes artテュsticos), umツcenテ。rio que me remeta para comida de verdade e para a partilha deツmomentos felizes: adoro fotografias bonitas de pテ」o.

Como jテ。 nテ」o fazia pテ」o hテ。 algum tempo,ツesta semana decidiツfazer a receita de um pテ」o de milho que hテ。 algum tempo desenvolvi para um show-cooking. A minha ideia era conseguir uns cortes bonitos e inspiradores na massa. Vi alguns vテュdeos e posts em que se usava farinha de arroz para polvilhar o pテ」o antes de fazer os cortes e fiquei a saber que hテ。 instrumentos de corte especテュficos, uns parecidos com bisturis, outros que parecem lテ。minas de barbear. Como nテ」o tinha nada disso, resolvi usar um x-ato.

Comツa primeira dose que levei a cozer nテ」o correu bem: um contratempo fez com que nテ」o levasse a massa ao forno na altura ideal e acabou por levedar demasiado (acho eu que foi isso, mas nテ」o estou 100% segura). Para alテゥm disso, como esta massa tem elevado teor de テ。gua e テゥ muito hテコmida (テゥ um no-knead bread), os cortes sテ」o mais difテュceis de fazer. Quem viuツas minhas stories no IG apercebeu-se de que o primeiro pテ」o, apesar de eu ter tentado fazer uns cortes bonitos, nテ」o tinha crescido como devia.

No dia seguinte, voltei テ carga, cumprindo o tempo deツdescanso apropriado para a receita. Usei de novo a farinha deツarroz para polvilhar - sim, concluテュ que a farinha de arroz faz toda a diferenテァa, pois tem um ponto de cozedura mais alto, mantendo-se branca atテゥ ao fim do tempo de forno, e dテ。 テ cテエdea uma テウtima textura areada -ツmasツpus de lado o x-ato, utilizando uma faca afiada comprida de gume liso. Segui, no entanto, outra dica: molhar a lテ。mina antes de fazer cada um dos cortes. E desta vez, para nテ」o fazer asneira, fiz apenas trテェs cortes tradicionais.

Os cortes tテェm uma razテ」o de ser: ajudam a massa a expandir de uma forma equilibrada, como que guiando a massa ao longo da cozedura. Sem cortes, a pressテ」o iria fazer ceder a massa onde esta estivesse mais frテ。gil e poderia comprometer a cozedura de uma maneira uniforme.

Levei o pテ」o a cozer numa panela prテゥ-aquecida de ferro fundido, como ultimamente tenho feito, eツnテ」o テゥ que saiu esta coisa linda? Encontram a receita no final do post!

pao_milho_2.jpg

Pode nテ」o ter naツcテエdea os desenhos mais arrojados, pode nテ」o ser ainda o pテ」o de fermentaテァテ」o lenta e massa-mテ」e caseira que um dia quero vir a fazer, mas jテ。 me deixou orgulhosa. Ainda por cima, o meu rapaz mais velho adorou o pテ」o e tive mesmo de o fazer parar de comer.

E por aテュ, somos entusiastas de fazer pテ」o ou nem por isso? Que dicas seguem e que me poderiam ajudar a fazer pテ」o ainda mais bonito e saboroso? Jテ。 agora, se gostam desta temテ。tica culinテ。ria, dテェem uma espreitadela a estes feeds - tenho a certeza de que irテ」o ficar derretidos, tal como um pedaテァo de manteiga a travar conhecimento com uma fatia ainda quenteツde uma sテェmea ou de um cacete estaladiテァo 汳:

E ainda o nosso incrテュvel Mテ。rio Rolando:

pao_milho_4.jpg

Pテグ DE MILHO E ESPELTA (SEM AMASSAR)

150 g de farinha de milho

150 g de farinha de espelta

200 g de farinha T65

375 ml de テ。gua morna

1 pacotinho de fermento de padeiro seco

1/2 colher de sopa bem cheia de sal marinho

1 colher de sobremesa de aテァテコcar amarelo

Farinha de arroz para polvilhar

Coloque a テ。gua morna numa taテァa grande de plテ。stico que tenha tampa. Junte o fermento e mexa bem, para que este se dissolva. Noutra taテァa, pese as farinhas, junte-lhes o sal e o aテァテコcar. Adicione estes secos, aos poucos, テ mistura de テ。gua e fermento, mexendo com uma colher, sテウ atテゥ estar tudo ligado. Coloque a tampa por cima (sem fechar hermeticamente) e deixe repousar duas horas テ temperatura ambiente. Apテウs este tempo, guarde a massa no frigorテュfico, tapado com a tampa, mas esta apenas pousada. Dura cerca de 10 dias no frigorテュfico, podendo ser usada aos poucos.

Quando quiser fazer pテ」o, polvilhe com farinha a superfテュcie da massa e retire um pedaテァo do tamanho de uma toranja.

Volte a tapar e a guardar no frigorテュfico a massa restante.

Molde a massa em forma de bola, achate-a um pouco e deixe-a repousar sobre papel vegetal polvilhado com farinha e coberto com um pano, cerca de 40 minutos.

Entretanto ligue o forno nos 200ツコ.

Se tiver uma panela de barro ou ferro fundido com tampa, coloque-a a aquecer, vazia e sem tampa.ツ

Polvilhe uniformemente a massa com farinha de arroz com a ajuda de uma peneira ou um coador.

Humidifique a lテ。mina de uma faca bem afiada e faテァa um corte rテ。pido na superfテュcie da massa. Repita o gesto as vezes apropriadas (eu fiz trテェs cortes).

Retire a panela do forno, e transfira para esta, com cuidado para nテ」o se queimar, a massa com o papel vegetal.

Tape a panela e leve a cozer durante cerca de 40 minutos. Ao fim deste tempo, retire a tampa e, se achar que ainda estテ。 um pouco branco, retire da panela e deixe cozer mais alguns minutos sobre o papel vegetal e numa posiテァテ」o superior do forno, para dourar. Faテァa o teste de bater no pテ」o para ver se estテ。 cozido: estarテ。 perfeito quando se ouvir um som 窶椀co窶. Retire do forno e deixe arrefecer sobre uma rede.

Nota:

Pode tambテゥm cozer o pテ」o sobre uma pedra ou um tabuleiro tradicional, idealmente prテゥ-aquecidos; neste caso, para criar humidade no forno (tal vai acontecer naturalmente na panela tapada), coloque um tabuleiro com テ。guaツa ferver na parte de baixo do forno,ツuns 10/15 minutos antes de colocar o pテ」o e enquanto o pテ」o coze. Hテ。 tambテゥm quem use toalhas de felpo hテコmidas e regadas com テ。gua a ferver.

MAIS RECEITAS DE Pテグ:

01
Set18

Pテ」o de banana, amテェndoa e abrunhos [Para uma rentrテゥe perfeita]

pao-banana-abrunho_6.JPG

pao-banana-abrunho.JPG

Nテ」o vinha cテ。 hテ。 mais de um mテェs. Mas tinha saudades.

Trabalho, fテゥrias em famテュlia e, claro, as longas fテゥrias escolares dos rapazes, que alteram as rotinas e me afastam deste hobby que テゥ ter um blogue de cozinha. Um hobby de que gosto muito, mas que テs vezes me deixa desanimada, tal o nテュvel de sofisticaテァテ」o a que esta atividade chegou, nomeadamente quanto ao ritmo e テ qualidade de produテァテ」o das publicaテァテオes, a comeテァar pelas redes sociais.

A fasquia estテ。 tテ」o alta, que テs vezes me pergunto se ainda faz sentido andar por aqui. Muitas vezes sonho que vou finalmente fazer um planeamento dos conteテコdos e publicar mais, que finalmente me vou organizar para poder criar alguns vテュdeos - ainda que para tal precise da ajuda de alguテゥm, que eu sou um zero na テ。rea - que vou tirar fotos mais bonitas, etc. e tal. Mas depois, uma sテゥrie de circunstテ「ncias se juntam テ minha capacidade de procrastinaテァテ」o - nisso sou boa - e fico no ponto em que estava.

Mas se dantes, quando se passava muito tempo desde o テコltimo post, os sentimentos de culpa combinados com algum wishful thinking me levavam a prometer que ia ser mais regular, que ia cozinhar mais e fotografar melhor, que desta vez テゥ que era, hoje vou ser mais comedida e realista.

Quem sabe nテ」o era essa pressテ」o e essa exigテェncia que impunha a mim prテウpria (tenho vテ。rias receitas fotografadas que nテ」o viram a luz do dia, porque nテ」o gostei do resultado final das imagens), que acabava por me fazer desistir, muitas vezes ainda antes de comeテァar?

Sテウ sei que adoro cozinhar, fotografar e partilhar. E enquanto achar que hテ。 alguテゥm desse lado que se revテェ e se identifica com aquilo que vou mostrando e enquanto retirar prazer daquilo que faテァo, irei continuar por aqui. Seja uma vez por semana, ou uma vez por mテェs. Que seja setembro a guiar-me neste recomeテァo. Com serenidade (ler 'sem grande stress dos mais novos no regresso テs aulas') e coisas boas na mesa. Como este delicioso pテ」o de banana, que leva ainda amテェndoa e gomos de abrunhos como topping.

pao-banana-abrunho_3.JPG

Pテグ DE BANANA, AMテ劾DOA E ABRUNHOS

2 bananas maduras
3 ovos
60 g de azeite extravirgem
90 g de aテァテコcar mascavado
130 g de farinha de trigo 55 sem fermento
70 g de farinha de amテェndoa (ou 70 g miolo de amテェndoa sem pele moテュdo)
1 colher de sopa de fermento em pテウ
90 g de miolo de amテェndoa com pele picado grosseiramente (pode tostar a amテェndoa, para intensificar o sabor e a crocテ「ncia)
2 abrunhos fatiados

Prテゥ-aqueテァa o forno nos 180ツコ.
Unte muito bem uma forma de bolo inglテェs com manteiga ou azeite e polvilhe com farinha (em alternativa use spray desmoldante).
Numa taテァa bata o aテァテコcar com o azeite.
Junte os ovos e bata bem.

Junteツas bananas entretanto desfeitas com um garfo e misture tudo muito bem.

Adicione as farinhas e o fermento, envolva bem sem bater.
Por fim, adicione e envolva a amテェndoa picada.
Verta para a forma e disponha por cima da massa as fatias de abrunhos. Salpique com mais um pouco de aテァテコcar e leve ao forno durante cerca de 45 minutos ou atテゥ um palito sair seco quando espetado no centro da massa.
Retire e deixe arrefecer antes de servir.
Embrulhado em papel de alumテュnio ou pelテュcula aderente, dura vテ。rios dias. テ hテコmido e delicioso!

MAIS RECEITAS DE "BANANA BREAD":

15
Mar18

Dos meus livros de cozinha favoritos [e a melhor receita de massa de brioche]

brioche-chocolate_3.JPG

Tenho um livro de cozinha, jテ。 com muitos anos, a cujas pテ。ginas regresso regularmente com prazer. E テゥ curioso porque nem sequer テゥ dos livros mais bonitos que tenho. Confesso que テs vezes julgo os livros pela capa e pelo seu design interior, mas este テゥ um livro muito simples e bテ。sico a esse nテュvel, quase nテ」o tem imagens. Mas o seu conteテコdo テゥ umツverdadeiroツtesouro no que diz respeito a receitas de pテ」o e derivados. テ oツArtisan Bread in 5 minutes a day, que parte do conceitoツda massa de pテ」o que nテ」o テゥ amassada, o famosoツno-knead bread.

Jテ。 por vテ。rias vezes repliquei receitas do livro - estテ」o linkadas no final do post -ツ e nunca saテュ desapontada. Mas a verdade テゥ que nunca tinha experimentado as versテオes mais "adocicadas", como o brioche. E coloco "adocicadas" entre aspas, porque uma das coisas que me surpreendeu nesta receita テゥ que nテ」o leva aテァテコcar enquanto ingrediente, apenas uma pequena quantidade de mel.

De entre osツmeus guilty pleasures - sim, tenho vテ。rios, shame on me! -ツestテ」o os pテ」es de leite e croissants, que como sテウ muito de vez em quando por razテオes テウbvias. Sempre que me deparo com uma receita destas iguarias, encho-me de vontade de ir para a cozinha, mas quando acabo de ler todos os passos, fico desanimada e acabo por desistir. Esta semana, deu-me para tirar o livro da prateleira e, um pouco テ sorte,ツfui parar テ pテ。gina da receita de brioche.

Mais uma vez, a receita nテ」o desiludiu. Pelo contrテ。rio, superou as minhas expectativas. E テゥ tテ」o simples, mas tテ」o simples de fazer, que vai passar a clテ。ssico cテ。 em casa, na hora de dar de lanchar - ou brunchar - テ famテュlia e aos amigos.

A テコnica coisa que aツmassa exige, e nem sequer テゥ muito, テゥ tempo de espera. Quase nada de trabalho manual, nada de amassar, nada de ganchos e batedeira, apenas 5 minutos a preparar e a misturar os ingredientes.

テ semelhanテァa das outras receitas do livro, depois das duas horas iniciais em que a massa fica a levedarツテ temperatura ambiente, guarda-se no frigorテュfico. Esta pode usar-se nos prテウximos cinco dias, uma massa de pテ」o sem ovos, dura atテゥ 15 dias. Se preferir, pode depois do repouso inicial congelar a massa - aconselho que o faテァa em porテァテオes do tamanho de uma toranja - descongelando-a com antecedテェncia no frigorテュfico quando for usテ。-la.

Quando quiser cozer, e partindo do princテュpio que tem a sua massa no frigorテュfico, sテウ tem de retirar uma porテァテ」o do recipiente, dar-lhe a forma pretendida e deixテ。-la levedar entre 1h30 a 2h30, dependendo da temperatura ambiente.ツ

Depois テゥ sテウ levar ao forno e voilテ。: brioche caseiro テ sua mesa. Quem diz brioche, diz croissants, regueifa doce, rolinhos de canela ou atテゥ pテ」o de hambテコrguer: as possibilidades sテ」o infinitas! Como ainda tenho massa no frigorテュfico, nos prテウximos postsツmostrarei outrasツformas deツusar esta receita todo-o-terreno. Se por acaso experimentarem-na, digam-me como correu!

brioche-chocolate_6.JPG

brioche-chocolate_2.JPG

MASSA DE BRIOCHE SEM AMASSAR - TRANテA DE BRIOCHE COM CHOCOLATE

Ligeiramente adaptado do livro Artisan Bread in Five Minutes a Day

Massa base:

500 g de farinha de trigo 55 sem fermento

1 pacotinho de fermento Fermipan

185 ml de テ。gua morna

1 pitada de sal

4 ovos ligeiramente batidos

1/4 de chテ。vena* de mel de rosmaninho (ou de um mel de sabor neutro)

180 g de manteiga derretida

*250 ml de capacidade

Para a tranテァa de brioche com chocolate

1 porテァテ」o do tamanho de uma toranja de massa de brioche

50 g de chocolate negro picado ou de pepitas de chocolate

Farinha paraツtrabalhar a massa

Leite ou ovoツbatido para pincelar

Aテァテコcar mascavado para polvilhar por cima (opcional)

Numa taテァa que tenha tampa, junte テ テ。gua morna o fermento, o sal, os ovos, o mel e a manteiga derretida.

Junte a farinha aos poucos, com a ajuda de uma colher de metal.

Nテ」o mexa demasiado, sテウ atテゥ a farinha estar toda incorporada.

Coloque a tampa do recipiente, mas sem fechar hermeticamente e reserve テ temperatura ambiente durante duas horas.

A partir daqui, pode colocar toda a massa no frigorテュfico, mantendo o recipiente tapado (com a tampa apenas pousada e nテ」o fechado hermeticamente); congelar em porテァテオes, ou fazer logo um pテ」o, como o que se segue.

Para a tranテァa de brioche com chocolate (descriテァテ」o atualizada!)

Polvilhe a superfテュcie da massa reservada com farinha, para que seja mais fテ。cil retirar uma porテァテ」o com a dimensテ」o aproximada de uma toranja.

Com as mテ」os enfarinhadas, dテェ-lhe a forma de uma bola, alisando a superfテュcie e empurrando a massa para o fundo a toda a volta, rodando a massa.

Polvilhe com bastante farinha a superfテュcie de trabalho e estique a massa num retテ「ngulo, pode ter que ir polvilhando para a massa nテ」o agarrar ao rolo. Corte em duas partes ao comprimento e divida o chocolate pelos dois pedaテァos de massa, deixando margens テ volta. Enrole cada um dos retテ「ngulos, una-os em forma de tranテァa dupla, una bem as pontas e coloque-a num tabuleiro forrado com papel vegetal e polvilhado com farinha.

Tape com um pano de cozinha e deixe levedar num local ameno atテゥ ficar com cerca do dobro do volume, o que deve demorar de 1h30 a 2h30.

Perto do final da levedura, ligue o forno nos 180ツコ.

Pincele a tranテァa com leite (eu polvilhei depois com aテァテコcar mascavado mas concluテュ queツse nテ」o o tivesseツfeito teria ficado ainda mais bonito, nテ」o acrescenta muito).

Leve ao forno durante cerca de 35 minutos, a uma altura mテゥdia, acompanhado de uma panela ou tabuleiro com テ。gua a ferver, que deverテ。 colocar na base do forno. Se achar que a tranテァa estテ。 a dourar muito depressa, cubra com alumテュnio.

Retire do forno, deixe arrefecer um pouco e delicie-se!

Notas:

- Esta テゥ uma adaptaテァテ」o da receita original para metade da dose, que pede, por exemplo, 8 ovos. Mesmo assim, rende bastante e uma dose como a que descrevo acima deve dar para, no mテュnimo, trテェs pテ」es como este.

- Normalmente as receitas de brioche pedem mais manteiga e aテァテコcar, por isso acho esta receita bastante equilibrada: o adoテァante テゥ mel e a quantidade de manteiga, seツpensarmos na quantidade de pテ」es e porテァテオes individuais que uma dose destas permite fazer, テゥ bastante comedida.

- Apesar das 2 horas iniciais para levedar, maisツo tempo final de repouso, parecer muito, テゥ muito menos do que as receitas de brioche tradicionais pedem: algumas chegam a pedirツque a massa repouse 24 horas!

- O recipiente com テ。gua a ferver no forno nテ」o faz parte da receita original mas テゥ o truque que eu costumo usar quando cozo pテ」o, para garantir humidade e uma crosta deliciosa. Neste tipo de pテ」o nテ」o テゥ algo essencial, mas eu acho que ajudou a uma crosta mais saborosa.

Mais receitas de pテ」oツsem amassar:

01
Mar18

O coraテァテ」o da casa [e uma receita de pテ」o de banana e chocolate]

cozinha-nova-final.JPG

cozinha-best_1.JPG

Hテ。 alguns anos, quando estテ。vamos a vender a nossa primeira casa e テ procura desta, um dos vendedores imobiliテ。rios com quem falテ。mos disse-nos que a divisテ」o que mais peso tinha na decisテ」o dos compradores era a cozinha. Nテ」o sei se serテ。 mesmo assim, mas o certo テゥ que este テゥ um espaテァo com um papel central na nossa vida diテ。ria e onde passamos muito do nosso tempo, por muito pouco que gostemos ou possamos cozinhar.

No caso desta casa, a cozinha original nテ」o era nada de especial, mas tinha uma grande qualidade: a dimensテ」o. Era uma cozinha grande, テ semelhanテァa de todas as divisテオes da casa, aliテ。s, foram as テ。reasツdos espaテァos e a localizaテァテ」o central que nos levaram a escolher este apartamento. Uma cozinhaツampla,ツpara alguテゥm que gosta de cozinhar e queツcoleciona loiテァa, tachos, e gadgets culinテ。rios diversos, faz toda a diferenテァa.

Acontece que, de facto, a cozinha nテ」o era nada de especial. Nテ」o nos identificテ。vamos com o chテ」o, nem com a bancada, nem com os azulejos (que pintテ。mos de branco logo no inテュcio), nem com os armテ。rios da cor da madeira que se deterioraram com alguma rapidez. Isto, a somar テ fraca qualidade do verniz do soalho da casa, que na sala ficou num estado lastimoso em trテェs tempos, fez com que aos poucos fテエssemos pensando numa remodelaテァテ」o.

Comeテァテ。mos a pensar nisso a sテゥrio em 2016, com a ajuda de um arquiteto. As obras comeテァaram em 2017 e, como contei aqui, sテウ este fevereiro テゥ que ficaram prontas, apテウs cinco meses a viverツnoutra casa. Desde sempre que a nossa ideia passava por unificar de alguma maneira a sala e a cozinha, porque como gosto muito de cozinhar e de receber, sentia que quando tinha convidados em casa, a parede entre a sala e a cozinha prejudicava o convテュvio.

Nテ」o querテュamos propriamente um open space - atテゥ porque havia pilares que nテ」o permitiam essa soluテァテ」o, mas depois de muitas horas de Pinterest, o conceito da parede envidraテァada deixou-nos completamente apaixonados e foi a partir daqui que o arquiteto trabalhou e desenhou todos os elementos, desde as novas portas aos armテ。rios que fizemos na sala. E como querテュamos mais luz - o corredor da entrada era forrado a madeira na sua cor natural (como as portas e os roupeiros de toda a casa) e acabava por tornar o ambiente um pouco escuro - quisemos que o brancoツpassasse a ser a cor dominante.

cozinha-coracao-da-casa.jpg

Dizem que no fim de umas obras jテ。 se fazia tudo diferente,ツmas estranhamente (ainda) nテ」o sinto isso.ツEstou muito contente comツo resultado, apesar de aindaツser necessテ。rioツretificar alguns 'pormaiores' na pintura e ainda que faltem alguns detalhes de decoraテァテ」o, tanto na cozinha como na sala.

Agora tenho umaツbancada de trabalho gigante - uma penテュnsula, encostada ao painel envidraテァado que separa a cozinha da sala - perfeita para esticar massa de pizza e paraツespalhar toda a parafernテ。lia que bolos e sobremesas mais sofisticados exijam. Mas ainda nテ」o テゥ uma receita dessas, rebuscadas, que vos trago! Hoje テゥ um apenas um simples pテ」o de banana e chocolate, numa versテ」o um pouco diferente das que jテ。 tinha aqui no blogue, e cujos links coloco no final do post.

Parte da farinha テゥ de aveia, a gordura que leva テゥ azeite e tem um topping crocante de chocolate e nozes. Uma delテュcia que distribuテュ por quatro formas pequenas, em vez de uma forma grande. Embrulhado em celofane e com um laテァarote catita, テゥ uma テウtimaツopテァテ」o para uma presente caseiro.

Deixo-vos com a receita, enquanto vou ali roubar uma fatia deste pテ」o de banana e chocolate e derreto-me, uma vez mais, com a minha cozinha nova 笶、ク

Ah, para os mais curiosos: a cozinha テゥ da empresa J.Diasツ(o tampo das bancadas テゥ em Dekton, um material muito resistente ao calor, テs manchas e aos riscos). O mosaico do chテ」o テゥ daツKerion e os azulejos sテ」o Primus vitテウria. Os eletrodomテゥsticos sテ」o Siemens, todos da cozinha anterior: tテェm 12 anos e continuam impecテ。veis.

banana-bread-mini_5.JPG

banana-bread-mini_16.JPG

Pテグ DE BANANA E CHOCOLATE COM TOPPING CROCANTE

Para 1 bolo grande ou 4 bolos mais pequenos

1 chテ。vena de farinha de trigo sem fermento

1 chテ。vena de farinha de aveia integral (moテュ flocos de aveia integral na Bimby)

1/4 de chテ。vena de aテァテコcar amarelo

1 colher de chテ。 de fermento em pテウ

1/2 colher de chテ。 de bicarbonato de sテウdio

1 pitada de sal

70ツg de chocolate negro

2 ovos L

2 bananas bem maduras

1/2 chテ。vena de leite magro

1/4 de chテ。vena de azeite

Para o topping crocante:

Uma mテ」o cheia de nozes picadas

1/4 de chテ。vena de aテァテコcar amarelo

1 colher de sopa bem cheia de manteiga derretida

2 colheres de sopa de farinha ou flocos de aveia

30 g de chocolate negro

Ligue o forno nos 180ツコ. Unte uma forma grande de bolo inglテェs ou quatro mais pequenas - se usar formas de cartテ」o descartテ。veis nテ」o precisa de untar. As minhas tinham 19 cm de comprimento por 7 cm de largura.

Comece por preparar o topo crocante (o famoso streusel,ツpara os anglo-americanos), misturando numa taテァa todos os ingredientes com os dedos, menos o chocolate, atテゥ obter uma espテゥcie de areia. Pique 100 g de chocolate e junte a esta mistura cerca de 30 g, reservando o restante para a massa.

Noutra taテァa, desfaテァa as bananas e junte os restantes ingredientes lテュquidos. Noutra, junte todos os ingredientesツ secos, テ exceテァテ」o do chocolate. Misture os secos, com cuidado, na misturaツlテュquida e, por fim, envolva o restante chocolate picado.

Distribua pela(s) forma(s) e espalhe por cima o streusel. Leve a cozer entre cerca de 25 minutos (formas pequenas) e 45 minutos (forma grande). Vテ。 espreitando e faテァa o teste do palito para se certificar de que estテ。 cozido.

Outros posts com receitas deツbanana bread:

22
Nov16

Amor ao lume [Doce de romテ」 e maテァテ」]

doce_roma_inteira2.jpg

doce_roma_mix2.jpg

doce_roma_mix1.jpg

O fim de semana que passou foi um tテュpico fim de semana de outono. Frio, chuva e, inevitavelmente, aquela humidade tテュpica do Porto que por mais casacos que uma pessoa vista, entranha-se por todo o lado. Ligueiツo aquecimento em casa, pela primeira vez, e aproveitei a tarde preguiテァosa de domingo para dar uso テs romテ」s que tinha apanhado na quinta dos meus sogros no outro fim de semana.

Estas romテ」s sテ」o muito テ。cidas. Eu nテ」o me importo nada com isso, dテ」o um sumo delicioso, para os meus gostos, mas a verdade テゥ que sou a テコnica cテ。 em casa capaz de as comer. Decidi entテ」o cozinharツqualquer coisa com elas e pedi sugestテオes noツInstagram.

Fazer vinagre, fazer doce, fazer chutney, servir com aテァテコcar e vinho de Porto テ sobremesa: foram vテ。rias as dicas recebidas, mas acabei por escolher o doce, seguindo o conselho de juntar maテァテ」s, por causa da pectina. O resultado? Um doce perfeito, que superou completamente as minhas expectativas: apesar de fazer doces e compotas de vez em quando, nテ」o sou nenhuma especialista e penso sempre que nテ」o vai ficar tテ」o bom como eu gostaria.

Claro que houve vテ。rios fatores que ajudaram a que o doce tenha saテュdo no ponto, desde logo ter sido feito numa panela de ferro fundido. Julgo que foi a primeira vez que usei uma Le Creuset para fazer doce e fiquei rendida. Costumo fazer na Bimby, que テゥ uma テウtima soluテァテ」o quando nテ」o queremos ou nテ」o podemos estar sempre a vigiar.

Depois, o facto de ter sido feito com tempo. Fazer com tempo significa fazer com amor. Nos テコltimos tempos, nテ」o tenho tido muitas oportunidades para cozinhar com esta entrega e soube-me bem ter a panela destapada ao lume e, sem pressa, ir vigiando, ir mexendo, ir sentindo o aroma que se espalhava na cozinha.

Depois, foi sテウ casar o doce com um pouco de requeijテ」o. E o meu humor reconciliou-se de imediato com o tempo lテ。 fora. Como uma amiga minha diz, na sua hashtag preferida, #nocテゥuhテ。disto.

doce_roma_inteira1.jpg

DOCE DE ROMテ E MAテテ

350 ml de sumo de romテ」*

580 g de maテァテ」s, pesadas jテ。 descascadas e sem caroテァo

480 g de aテァテコcar

1 tira de casca de limテ」o

1 pau de canela

Cascas e caroテァos de duas ou trテェs maテァテ」s

Embrulhe as cascas e os caroテァos de maテァテ」 num pedaテァo de gaze ou mousseline, atando bem e formando uma espテゥcie de saquinho.

Junte todos os outros ingredientes numa panela de fundo espesso e leve ao lume mテゥdio.

Mexa bem e junte o saquinho com as cascas e os caroテァos de maテァテ」 - pode, por exemplo, atテ。-lo numa colher de pau e pousar a colher na panela, de forma a que o saco fique mergulhado no doce. テ nas cascas e nos caroテァos da maテァテ」 que hテ。 mais pectina e isto vai ajudar a que oツdoce espesse e fique comツmelhor textura. Reduza para o mテュnimo e deixe cozinhar, mexendo de vez em quando. Deve demorar entreツ1h30 a 2 horas a ficar no ponto.

Ao fim deste tempo, achei que estava pronto mas que ainda havia ainda pedaテァos notテウrios de maテァテ」. Como gosto de doces mais uniformes, descartei a casca de limテ」o e o pau de canela e ralei grosseiramente com a varinha mテ。gica. Deixei ferver novamente e passei para frascos limpos.

*Retirei os bagos テs romテ」s, triturei-os na Bimby e coei o sumo; para 350 ml de sumo, deve precisar de duas a trテェs romテ」s.

Teresa Rebelo

foto do autor

Sigam-me

TOP 100 Food Bloggers

TOP 15 Blogs de Culinテ。ria Portugueses

Featured on

Bloglovin

Subscrever por e-mail

A subscriテァテ」o テゥ anテウnima e gera, no mテ。ximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D