Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Lume Brando

28
Dez18

Lasanha de bacalhau com béchamel de coentros [Feliz 2019!]

lasanha_bacalhau_parmalat_d.jpg

lasanha_bacalhau_parmalat_c.jpg

 

Depois de um excelente Natal em família, pelo qual estou profundamente agradecida, e ainda antes de começar os preparativos para o Ano Novo, estou de volta para vos mostrar um prato de bacalhau diferente, que desenvolvi a convite da Parmalat.

 

Em casa dos meus pais, na noite do dia 31 de dezembro, sempre se repetiu o menu da noite de consoada: bacalhau cozido com todos. Ora, este não é dos pratos favoritos das gerações mais novas. Sensível ao torcer de narizes, a minha mãe começou a ter sempre um prato alternativo, tanto no Natal como na passagem de ano: o seu famoso bacalhau coberto.

 

Mas a verdade é que este peixe tão apreciado pelos portugueses é tão versátil, que não precisamos de o apresentar sempre da mesma maneira. Aliás, já diz a frase popular que há mil e uma maneiras de cozinhar bacalhau.

 

A minha lasanha de bacalhau com béchamel de coentros é mais uma opção para essa comprida lista. Para além do fiel amigo, leva imensos legumes, unidos pela cremosidade do béchamel Parmalat, ao qual juntei os aromáticos coentros. Uma sugestão que podem já pôr em prática no jantar de réveillon, no caso de serem anfitriões nessa grande noite.

 

Resta-me desejar-vos que 2019 seja um ano verdadeiramente ímpar, que no final valha a pena recordar. Vamos fazer por isso?

 

lasanha_bacalhau_parmalat_g.jpg

 

LASANHA DE BACALHAU COM BÉCHAMEL DE COENTROS

Para 6 pessoas

 

3 lombos de bacalhau demolhado

1 cebola pequena

1 cebola grande

4 dentes de alho

1 folha de louro

1 cenoura grande

1 talo de alho francês

1 curgete pequena

5-6 tomates chucha maduros

750 ml de molho béchamel Parmalat

20 g de coentros (cerca de uma mão-cheia)

6 a 8 placas de lasanha frescas

Azeite q.b.

Sal q.b.

Pimenta preta q.b.

Noz-moscada q.b.

 

Comece por cozer os lombos de bacalhau em água abundante, juntamente com a cebola mais pequena, um dente de alho e a folha de louro.

Num tacho grande, coloque um fundo de azeite e adicione a outra cebola, picada. Deixe alourar um pouco e junte os restantes dentes de alho, picados. Passados alguns minutos, junte o alho francês partido às rodelas finas, a cenoura ralada e a curgete sem casca e partida em cubinhos. Tempere com sal, pimenta preta acabada de moer e noz moscada. Tape e deixe cozinhar até ficar bem macio, mexendo de vez em quando. Se achar que está a ficar seco, pode juntar um pouco de água (ou de vinho branco).

Depois de escorridos e arrefecidos, lasque os lombos de bacalhau e junte as lascas ao preparado de legumes, envolvendo bem e retificando os temperos, se necessário.

Pique bem os coentros e junte-os ao molho béchamel Parmalat (se preferir, pode colocar o béchamel e os coentros num robot de cozinha ou no copo da varinha mágica e triturar).

Corte os tomates em rodelas finas.

Ligue o forno nos 160º - função ventoinha.

 

Para montar:

Escolha uma assadeira de tamanho apropriado e coloque um pouco do molho béchamel com coentros no fundo. Cubra com uma ou mais placas de lasanha. Espalhe por cima 1/3 da mistura de bacalhau e legumes e disponha por cima rodelas de tomate. Espalhe um pouco de molho béchamel por todo. Volte a fazer uma camada de placas de lasanha, seguida de uma camada da mistura de bacalhau e legumes, de uma camada de tomate e cubra mais uma vez com béchamel. Repita a sequência, uma vez mais (se estiver muito alto, abdique da camada de rodelas de tomate). Termine com placas de lasanha e o restante molho béchamel por cima. Leve ao forno durante cerca de 25/30 minutos. Nos minutos finais, se lhe quiser dar mais cor, coloque a assadeira num nível superior e ligue alguns minutos a função grill. Sirva com uma salada de alface e rúcula ou com legumes verdes cozidos.

 

Nota: o tempo de cozedura e a temperatura do forno variam consoante a marca e o tipo de placas de lasanha que utilizar. Se for fresca, o cozimento é normalmente rápido, tal como descrito na receita; se usar das secas, mesmo que pré-cozidas, vai demorar mais tempo e talvez seja melhor aumentar a temperatura de forno e usar mais um pouco de molho béchamel.

 

Post desenvolvido em parceria com a Parmalat.

 

06
Dez17

O peixe que veio do frio [Bacalhau da Islândia à moda da minha mãe]

bacalhau-coberto-horizontal.jpg

bacalhau-coberto-mix.jpg

bacalhau-coberto-mix-brocolos.jpg

 

Já há muito que queria partilhar convosco uma das receitas de família que me são mais queridas. O “Bacalhau coberto” da minha mãe - e o nome do prato é mesmo assim, curto e simples - é uma instituição. Desde pequena que o vejo a ser servido na véspera de Natal - feito sobretudo a pensar nos mais novos, que torciam o nariz ao bacalhau cozido com todos. Mimos de mãe e de avó.

 

E se é verdade que volta e meia a minha mãe prepara esta receita, é no Natal e nos dias mais frios que esta comida de conforto nos sabe melhor. Desafiada pelo Bacalhau da Islândia a apresentar uma receita onde o fiel amigo fosse a estrela*, lembrei-me então de cozinhar o ‘Bacalhau coberto’, elogiado por todos os que já o provaram. Uma receita que tem atravessado gerações, pois a minha mãe aprendeu a fazê-la com a minha avó paterna.

 

É natural que a minha mãe lhe tenha dado o seu toque pessoal e eu, depois de apontar a receita, decidi também introduzir um ou outro detalhe, que não altera em nada a sua essência: puré, cebolada em azeite generoso, bacalhau cozido lascado, ovo cozido, puré, azeitonas. Ou seja, um empadão de bacalhau, mas que já a minha avó Luísa designava por “Bacalhau coberto”.

 

A qualidade do bacalhau é essencial para a qualidade final da receita e com o Bacalhau da Islândia, não há como não ficar um prato delicioso. Não é à toa que lhe chamam “o melhor bacalhau do mundo”. Pescado de forma sustentável nas águas geladas islandesas e salgado de acordo com o saber transmitido de geração em geração nas aldeias piscatórias desta ilha do norte da Europa, o Bacalhau da Islândia apresenta uma lasca perfeita e um sabor irrepreensível, depois de corretamente demolhado.

 

Um peixe que nos chega de um país frio e cheio de maravilhas naturais (a Islândia está no topo da minha wishlist de viagens), e que vem aquecer as nossas mesas com um mundo de possibilidades em termos de receitas. Este “Bacalhau coberto” é apenas uma das mil e uma formas de cozinhar este ingrediente nobre, e o meu desejo é que que sirva de mote para momentos felizes à volta da mesa.

 

bacalhau-coberto_2.JPG

 

BACALHAU COBERTO

 

Para 5/6 pessoas

 

Para o puré:

1 kg de batatas descascadas e cortadas aos pedaços

200 g de cenoura descascada e ralada

400 ml de leite meio-gordo

Sal, pimenta preta e noz-moscada qb

1 colher de sopa bem cheia de manteiga

 

Para o recheio:

3 lombos de Bacalhau da Islândia demolhado

4 dentes de alho

2 folhas de louro

1 cebola pequena + 2 cebolas grandes

3 ovos

2 colheres de sopa de pimento vermelho em conserva

Azeite

 

Para finalizar:

1 ovo batido

1 punhado de azeitonas descaroçadas

 

Comece por fazer o puré, usando um robot de cozinha ou uma panela tradicional. Leve a cozer no leite a batata e a cenoura (esta deve ser ralada, para que fique cozida ao mesmo tempo que a batata), temperando com sal, pimenta preta e noz-moscada. Quando estiver tudo bem cozido, junte a manteiga e reduza a puré.

 

Entretanto leve a cozer os lombos de bacalhau com um dente de alho esmagado, uma cebola e uma folha de louro. Noutro tacho com água, leve a cozer três ovos – coloque na água um fio de vinagre para que depois seja mais fácil descascá-los.

 

Numa frigideira ou tacho baixo e largo, coloque um bom fundo de azeite e leve a refogar as restantes cebolas cortadas em meias-luas e os restantes dentes de alho laminados e uma folha de louro. Deixe cozinhar até a cebola estar bem macia e a ficar translúcida.

 

Pré-aqueça o forno nos 180º. Antes de começar a montar o empadão, lasque o bacalhau, eliminando peles e espinhas e descasque e parta os ovos em rodelas.

 

Pincele uma assadeira com azeite e faça uma camada com cerca de metade do puré. Regue com a maior parte da cebolada e faça uma camada com as lascas do bacalhau. Disponha por cima as rodelas de ovo cozido, espalhe tirinhas de pimento vermelho assado em conserva e salpique com mais um pouco da cebolada. Tape com o restante puré.

 

Espalhe por cima algumas azeitonas descaroçadas e pincele com ovo batido. Leve ao forno até sentir que está bem quente, a borbulhar e com uma cor dourada. Sirva com legumes cozidos.

 

Notas:

- Este é daqueles pratos práticos de forno, que pode ser preparado com antecedência e depois é só colocar no forno, sem stress ou cozinha desarrumada;

- Continuo sem cozinha (e sem casa, na verdade). Esta sessão fotográfica foi, por isso, feita em casa dos meus pais. O que, tendo em conta a receita, fez todo o sentido ;)

 

*Post em parceria com Bacalhau da Islândia

 

 

 

 

 

22
Set17

Continuamos a adorar a nossa gastronomia com Coca-Cola [e um prato vencedor]

coca-cola-bacalhau-blog2.jpg

coca-cola-bacalhau-mix1.jpg

 

Já aqui vos tinha falado na iniciativa "Adoramos a nossa gastronomia com Coca-Cola", que pretende divulgar e valorizar a nossa cozinha tradicional tão rica, nomeadamente junto dos mais novos, que muitas vezes sentem o nosso património gastronómico como algo distante, perdido algures no tempo dos seus avós.

 

Este longo roteiro pelo melhor que se cozinha em cada região de Portugal, começou em junho no Algarve, e aproxima-se da região final, que será o Grande Porto, cidade que acolherá o evento final.

 

Neste post antigo do blog, protagonizado pelas Lulinhas à Algarvia, ou neste aqui, onde brilhou o Polvo à moda dos Açores, podem saber mais sobre a mecânica desta ação, que irá identificar o prato mais representativo de cada região, através do voto popular.

 

Curiosos para conhecerem os pratos vencedores até agora? Aqui vai a lista dos mais votados por região:

 

Algarve - Cataplana

Grande Lisboa -  Bife à Portuguesa

Sul Tejo Litoral - Choco Frito

Açores - Bife à regional 

Madeira - Espetada madeirense 

Norte Litoral - Leitão Assado

Centro Litoral - Bacalhau assado com batatas a murro

 

E é uma receita de bacalhau assado com batatas a murro que trago hoje. À falta de brasas, assei-o no forno. E as batatinhas a murro também têm um truque, para demorarem menos.

 

Mas antes de passarmos à receita, relembro que ainda podem votar e até ganhar prémios com a vossa participação, nos pratos das seguintes regiões: Norte Interior, Baixo Minho, Alto Minho e Grande Porto. Informem-se sobre as respetivas datas, quais os pratos a concurso, quais os restaurantes aderentes e como participar em adoramosanossagastronomia.pt

 

coca-cola-bacalhau_7.JPG

BACALHAU ASSADO COM BATATINHAS A MURRO

Para 2

 

2 lombos de bacalhau demolhado

Cerca de 10 batatas pequenas para assar

1 molho de grelos ou espinafres

6 dentes de alho

2 ou 3 hastes de salsa

Sal qb

Pimenta preta qb

Azeite qb

Vinagre qb

 

Numa taça, faça uma dose generosa de molho com azeite, alguns dentes de alho picados, sal e pimenta preta acabada de moer.

Lave bem as batatas e leve-as a cozer numa panela com água a ferver temperada com sal.

Pré-aqueça o forno nos 200º.

Num pirex, coloque um fundo do molho de azeite preparado, disponha os lombos de bacalhau, regue com mais um pouco desse azeite aromatizado e leve ao forno durante cerca de 25 minutos ou até o bacalhau começar a querer lascar.

Entretanto lave e seque bem os grelos os os espinafres. Se usar espinafres salteie-os na frigideira com um fio de azeite e alho picado, temperando-os com um pouco de sal. Se usar grelos, coza-os primeiro, escorra-os bem e salteie-os da mesma forma que faria com os espinafres.

Entretanto escorra as batatas, dê-lhes um pequeno "murro", coloque-as numa assadeira e tempere-as com o molho de azeite preparado no início da receita. Junte um pouco de vinagre e salsa picada, envolva bem e leve-as ao forno até aloirarem.

Emprate todos os elementos, regue com mais um fio de azeite, se achar necessário, e sirva. 

 

Nota: quem me segue pelo facebook sabe que a minha cozinha está em obras. Tem sido uma aventura e estou em pulgas para ver o resultado final. Esta receita foi por isso confecionada e fotografada noutra cozinha (mais uma aventura!) Estejam atentos ao fb e ao Instagram do Lume Brando, onde vou dando conta de como as obras estão a correr e onde mostrarei alguns detalhes da cozinha nova ;)

 

Teresa Rebelo

foto do autor

Sigam-me

TOP 100 Food Bloggers

TOP 15 Blogs de Culinária Portugueses

Featured on

Bloglovin

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D