Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Lume Brando

02
Mai17

Dar uso às sobras [Canapés de batata-doce]

canapes-batata-doce_4.jpg

canapes-batata-doce_2.jpg

canapes-batata-doce-2.jpg

 

Pelo menos uma vez de quinze em quinze dias há noite de pizzas cá em casa. Massa caseira, molho caseiro e muitos toppings à escolha. A ultima vez foi este fim de semana e, como quase sempre, sobraram ingredientes. Na refeição seguinte, lembrei-me de juntá-los a uma batata-doce roxa, experimentando uma sugestão há muito guardada num dos meus quadros do Pinterest.

 

Adoro batata-doce. Apesar de em casa dos meus pais nunca se ter comido, foi daqueles ingredientes de amor à primeira dentada, já em adulta. Confesso que nunca tinha provado a roxa, mais difícil de encontrar, e apesar de ter gostado, acho que a laranja continua a ser a minha preferida.

 

Puré de batata-doce, batata-doce aos palitos no forno, batata-doce a acompanhar um assado, gratinado de batata-doce a acompanhar peixe grelhado ou assado... sou absolutamente fã! Só ainda não a utilizei em bolos ou tartes, mas tenho mesmo de o fazer, até já coloquei um post-it no frigorífico, para que outras experiências não passem à frente.

 

E então, o que achei destes canapés* coloridos? Que são muito fáceis de fazer, saborosos, e uma maneira simples de aproveitar aqueles restinhos de coisas que costumam vaguear pelo frigorífico. Mas se os fizer de propósito, em maior quantidade, para uma festa, também não se arrependerá.

 

As combinações são infinitas. No meu caso, usei mesmo o que tinha da noite das pizzas e gostei especialmente da versão com beterraba e queijo de cabra e da versão com pimento amarelo e queijo mozzarella, mas não se acanhem: pera e queijo azul, queijo creme e salmão fumado, bacon e queijo cheddar são outras duplas que devem ficar maravilhosamente bem.

 

*No post onde me inspirei chamam-lhes crostini, mas mal os vi veio-me à mente a palavra 'canapé'. E ainda que 'canapé' possa estar fora de moda - a mim leva-me automaticamente para as festas e cockails dos anos 80 - podemos sempre dizer que é vintage e já não parece algo desatualizado 😂

 

canapes-batata-doce.jpg

 

CANAPÉS DE BATATA-DOCE

A partir da receita de Camille Styles

 

Para cerca de 16

1 batata-doce média

1 fio de azeite

Sal

Pimenta preta acabada de moer

 

Toppings variados e a gosto:

Queijos, beterraba cozida, pimento cru,

pimento assado, molho de tomate, milho, pera em fatias finas,

salmão fumado, pesto, etc.

 

Para decorar:

Rúcula, ervas aromáticas, frutos secos, sementes

 

Pré-aqueça o forno nos 180º.

Lave bem a batata-doce e descasque-a.

Parta-a em rodelas com cerca de 1/2 cm.

Coloque-as numa taça e tempere com um fio de azeite, sal e pimenta preta.

Coloque-as num tabuleiro forrado com papel vegetal e leve a assar durante cerca de 30 minutos, virando as rodelas a meio do tempo.

Retire, distribua os toppings e leve de novo ao forno a gratinar (nem todos os toppings necessitam de voltar ao forno, como por exemplo se usar queijo creme e salmão fumado).

Decore os canapés com umas folhinhas de ervas aromáticas e sirva-os quentes ou mornos.

21
Abr17

A partilha [Pão de pizza com ervas, alho e queijo]

pao-pizza-partilha1_1.jpg

pao-pizza-partilha1_3.jpg

pao-pizza-partilha.jpg

 

A propósito de um livro lançado esta semana sobre "Ser blogger"*, com dicas e informações úteis não só para os que se queiram iniciar nesta aventura, como para quem já anda nisto há algum tempo, mas quer evoluir e melhorar a sua presença na blogosfera, dei comigo a questionar a importância do Lume Brando na minha vida e aquilo que de melhor este projeto me tem trazido. E cheguei a uma palavra-chave: a partilha.

 

Mais do que obter reconhecimento, mais do que ter convites para ir a determinados eventos ou estabelecer parcerias com certas marcas, mais do que ter conseguido escrever um livro de cozinha [ressalva importante: todas estas oportunidades foram e são fantásticas e estou imensamente grata por elas!] - do que eu gosto mesmo é de partilhar. Partilhar as receitas que fazem sucesso cá em casa e com as quais fico mesmo entusiasmada é o que mais prazer me dá nesta vida de blogger. Isso e também poder 'partilhar' esta paixão pela cozinha com bloggers fantásticos, que tenho tido a sorte de conhecer, que me inspiram e que tanto me ensinam.

 

Mas voltando às receitas, não imaginam a quantidade de sessões fotográficas que tenho na gaveta porque, depois de fotografar e provar, achei que o prato não merecia ter um lugar aqui, por mais bonitas que as imagens tivessem ficado. Não é o caso deste pão, que não só parece ser maravilhoso, como é mesmo maravilhoso. A ideia encontrei-a nesse fabuloso mundo de partilhas - lá está, novamante, a partilha, essa palavra mágica, quando usada para coisas boas - chamado Pinterest.

 

E não podia ser mais simples: estende-se massa de pizza até obter um retângulo, pincela-se com manteiga e azeite, polvilha-se com alho e ervas picados e queijo ralado. Corta-se aos quadradados, empilham-se os quadrados, faz-se tombar a torre quadrangular e coloca-se a mesma numa forma de bolo inglês. Vai ao forno e voilá: eis um pão de partilha saboroso e surpreendente. E porque se chama pão de partilha? Porque a ideia é que os comensais vão partindo o pão ainda morno à mão, pelas marcações da massa.

 

Bora lá partilhar muito este fim de semana? 😉

 

pao-pizza-partilha1_2.jpg

PÃO DE PARTILHA COM MASSA DE PIZZA, ERVAS, ALHO E QUEIJO

[Adaptado daqui]

 

Cerca de 500 g de massa de pizza (fiz 3/4 da receita de massa de pizza do livro base da Bimby)

1 colher de sopa de azeite

1 colher de sobremesa de manteiga

1 chávena de ervas picadas (salsa e manjericão, por exemplo)

1,5 a 2 chávenas de queijo ralado (mozzarella ou mistura de queijos)

Raspas de queijo parmesão (opcional)

Pimenta preta acabada de moer (opcional)

 

Chávena >>> 250 ml de capacidade

 

Depois da massa levedada ou se usar massa de compra, estenda-a sobre uma folha de papel vegetal até obter um retângulo grande com cerca de 0,3 cm de espessura. Derreta a manteiga e junte ao azeite e pincele toda a superfície da massa. Espalhe por cima o alho picado e as ervas e por fim espalhe o queijo ralado. Se desejar, tempere com um pouco de pimenta preta.

Corte a massa em tiras ao comprimento da massa, que devem ter a largura da forma de bolo inglês que irá usar (usei uma com 22 cm de comprimento x 12 cm de largura x 6 cm de altura); de seguida faça tiras à largura, de forma a obter 'quadrados'. A ideia é que estes pedaços de massa tenham, ainda que de forma aproximada, a largura e a altura da forma. Empilhe os 'quadrados' formando uma torre. Não se preocupe, porque há queijo que vai resvalar, é normal. Com cuidado, faça tombar a torre sobre o papel vegetal, obtendo uma espécie de comboio de fatias de massa e, com a ajuda do papel, introduza-o na forma. Tape com um pano e deixe junto ao forno enquanto este pré-aquece nos 190º.

Retire o pano e leve a cozer durante cerca de 50 minutos. Retire do forno e espere uns dez minutos antes de o retirar da forma e levar para a mesa.

 

 *Este livro, da autoria de Carolina Afonso e Sandra Alvarez conta com um pequeno testemunho meu e de outros bloggers, e contém imensa informação sobre isto de ter um blog e até de como rentabilizar este tipo de projeto. Recomendo!

 

 

 

29
Out13

Tchin-tchin.


Apesar de nunca falar de vinho aqui no blog, é uma bebidabastante apreciada cá em casa.


Durante a semana é raro bebermos, mas osjantares de fim-de-semana costumam ser acompanhados de um bom copo de vinho. Quasesempre as escolhas ficam a cargo do Gonçalo, que tem um nariz e um palato bem mais refinados do que os meus e até já fez um curso de provas.





A marca Quinta da Aveleda não me era por isso desconhecida quando recebi um convite para provar alguns dos seus produtos. Inclusivamente, numas férias de Verão recentes, estivemos na loja da quinta, em Penafiel, a provar e a comprar alguns vinhos.
Na altura fiquei com pena de não termos tempo para visitar os jardins, onde crescem árvores raras e centenárias, jardins esses que contribuíram para o prémio internacional 'Best of Wine Tourism - categoria de Arquitectura, Parques e Jardins', que a Aveleda ganhou em 2011.
Temos por isso de lá voltar em breve e levar os miúdos, disseram-me que vale mesmo a pena fazer a visita guiada à Quinta.

Só podia dizer que sim a este pequeno desafio e, mal recebi os vinhos e o queijo, uma palavra pequenina e alegre veio-me à mente: FESTA.

Este post é por isso dedicado às celebrações, por mais simples que seja o motivo. E se pensarmos bem, há sempre mais coisas pelas quais devemos estar gratos e felizes do que imaginamos.

Não é preciso muito para festejar as pequenas coisas boas da vida à mesa, com a família ou os amigos.  E quando temos bons produtos à mão, o trabalho fica ainda mais facilitado.
Este queijo amanteigado, por exemplo, come-se muito bem à fatia, com umas tostas ou uma compota.
Mas se gostam de sofisticar um pouco na hora de receber, estes vols-au-vent irão fazer sucesso. Podem fazer as caixinhas de massa folhada com antecedência (na véspera por exemplo, desde que as guardem num recipiente hermético) e depois rechear em 5 minutos: cortar algumas fatias de queijo em cubinhos e fazer duas versões: uma com queijo, nozes e mel, outra com queijo, doce de frutos vermelhos e manjericão.

Umas entradinhas elegantes e muito fáceis de fazer, que acompanham especialmente bem o Quinta da Aveleda - Loureiro e Alvarinho 2012, um vinho onde os aromas florais da casta Loureiro e as notas frutadas típicas de um Alvarinho se combinam de forma leve e harmoniosa.

Tchin-tchin!





 









Vols-au-vent agridoces

Para as caixinhas de massa folhada:
1 base rectangular de massa folhada fresca
Clara de ovo
2 cortadores redondos de bolachas (diâmetro 5 cm e 2,5 cm)


Pré-aqueça o forno nos 190º (ultimamente tenho colocado o forno nesta temperatura - mais alta do que costumava, para cozer as caixinhas, e tem resultado bem).
Estenda a massa folhada e corte círculos com o cortador de bolachas de maior diâmetro.
Em metade desses círculos, retire um círculo interior central com o cortador mais pequeno.
Pincele bem os círculos 'completos' com clara de ovo e cole um círculo "furado" por cima de cada um.
Leve a cozer sobre papel vegetal cerca de 12 minutos ou até estarem bem douradas e folhadas.
Destaque-as do papel vegetal. Se achar que algumas das caixinhas estão 'tortas' (mais altas de um lado do que do outro, tente uniformizar pressionando levemente a massa enquanto ainda estão quentes).
Pouco tempo antes de servir, coloque o recheio (se achar que a cavidade da caixinha é pouco profunda, abra-a pouco mais com o cabo de uma colher).

Para os recheios:
Queijo amanteigado Quinta da Aveleda
Doce de framboesa
Folhinhas de manjericão
Nozes
Mel
Sementes de papoila

Corte algumas fatias de queijo e parta-as aos cubinhos.
Com uma colher de café, coloque um pouco de doce de framboesa em metade das caixinhas de massa folhada, e por cima espalhe alguns cubinhos de queijo. Termine com uma folhinha de manjericão (não a descarte ao comer, o contraste de sabores é óptimo!)
Na outra metade das caixinhas coloque os cubinhos de queijo, regue com um pouquinho de mel, espalhe nozes picadas e verta mais um pouco de mel. Termine com sementes de papoila.


PS: ultimamente não tenho conseguido traduzir todos os posts para inglês, mas se alguém precisar da tradução das receitas, é só pedir :)
PS: my days are getting too short to translate all posts into english, but if you are interested in the translation of any recipe, just ask :)


16
Jan13

Guloseimas salgadas // Savory treats






























Acho que já deu para perceber que as minhas receitas favoritas são aquelas que dão pouco trabalho mas enchem o olho.
E já vi que a Lorraine Pascale é do meu clube.
Há uns tempos pus a gravar o seu programa que está a passar na SIC Mulher, e noutro dia deliciei-me com vários episódios de seguida.
Fiquei com imensa vontade de experimentar as suas receitas e comecei pela mais simples e rápida que vi até agora: lollipops de queijo.
Ficaram com um aspecto rústico muito engraçado e bastante estaladiços.
Usei queijo da Ilha em vez do parmesão e resultou muito bem.
E é uma receita que podemos variar, juntando ervas, sementes e especiarias diferentes.
Na próxima festa cá de casa, terei estas guloseimas salgadas a receber os convidados.

//

You know that my favorite recipes are those which require little effort but have the wow factor.
And I've seen that Lorraine Pascale thinks alike.
I've been recording her program on SIC Mulher, and indulged myself the other day with several episodes in a row.
There are a lot of recipes from the program I want to try soon, so I started with the simplest and quickest I've seen so far: cheese lollipops.
They came out with a nice rustic look and quite crispy.
I used a Portuguese cheese - queijo da Ilha - instead of parmesan, and it worked very well.
You can modify this recipe endlessly, by adding different herbs, seeds or spices.
Next time I host a party at home, I'll have these salted goodies awaiting the guests.







































Lollipops de queijo
(receita original de Lorraine Pascale)

Para cerca de 6

50 g de queijo da Ilha ralado grosseiramente (ou parmesão)
Sementes a gosto (usei papoila, sésamo e linhaça, cerca de uma colher de sopa)
Ervas aromáticas secas ou especiarias a gosto (usei Ervas de Provence, cerca de duas colheres de chá)

Aro de enformar comida ou cortador redondo de bolachas com 6 cm de diâmetro
Palitos de espetada médios

Pré-aquecer o forno nos 220º.
Forrar um tabuleiro com papel vegetal.
Numa taça, misturar o queijo com as sementes e as ervas aromáticas.
Colocar o aro ou o cortador de bolachas sobre o papel vegetal e introduzir cerca de uma colher de sopa da mistura, formando um círculo relativamente plano. Retirar com cuidado o aro ou o cortador, pousar um palito na vertical com a extremidade superior a meio do círculo e colocar mais um pouco da mistura tapando o palito. Voltar a pousar o aro ou cortador no papel vegetal, um pouco afastado do primeiro chupa-chupa (é preciso espaço entre os círculos porque o queijo vai espalhar-se ao derreter) e repetir a operação. Assim sucessivamente até terminar a mistura do queijo.
Levar ao forno cerca de 5 minutos ou até ficar bem dourado e com aspecto crocante.
Retirar do forno, destacar com cuidado do papel vegetal (com uma espátula fina de metal, por exemplo) e deixar arrefecer.
Se não for servir logo, guarde numa caixa hermética até à hora de servir.

//

Cheese lollipops
(original recipe: Lorraine Pascale)

About 6


50 g of coarsely grated cheese ("queijo da Ilha" or parmesan)
Seeds
(I used a tbspoon of poppy, sesame and linseed)
Dried herbs or spices (I used 2 teaspoons of Herbs de Provence)

Metallic ring for shaping food or round cookie cutter with 6 cm diameter
Kebab sticks - medium size

Preheat the oven to 220 º.
Line a tray with parchment paper.
In a bowl, mix the cheese with seeds and herbs.
Place the ring or cookie cutter on the parchment paper and insert about a tablespoon of the mixture, forming a relatively flat circle. Carefully lift the cutter or the ring and place a kebab stick vertically in the middle of the cheese circle. Put a bit more of the mixture covering the stick end. A little away from the first lollipop (we'll need space between circles because the cheese will spread when melting), repeat the process until there's no more cheese mixture.
Bake about 5 minutes or until golden brown and crispy.
Remove from oven, carefully 'unstick' them form the parchment paper (using an offset spatula, for example) and let cool.
If not serving immediately, store in an airtight container until serving.

Teresa Rebelo

foto do autor

Sigam-me

TOP 100 Food Bloggers

TOP 15 Blogs de Culinária Portugueses

Featured on

Bloglovin

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D