Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Lume Brando

21
Fev13

É hora do lanche! // Snack time!









































Há muito que queria fazer madalenas.
Não tanto pela receita mas pela forma amorosa destes bolinhos.

A origem do nome, no original francês madeleine, não é consensual, mas há quem diga que se deve a uma cozinheira francesa do século XVIII chamada Madeleine Paulmier.
A verdade é que estas pequenas conchas são um ex-libris da pastelaria francesa, tendo ficado ainda mais famosas depois de Marcel Proust ter contado, de forma eloquente no livro "À procura do tempo perdido", como comer uma madalena o fez regressar à infância.

Há muitas receitas de madalenas e julgo ser difícil saber qual a mais genuína, algumas incluem farinha de amêndoa ou de noz, mas trata-se sempre uma massa leve e simples de bolo, a maior parte das vezes aromatizada com raspas de limão ou laranja.

Para fazer estas, adaptei uma receita de um livrinho antigo da Vaqueiro e gostei bastante do resultado.
Como rendeu imenso e só tinha 9 forminhas de madalena, usei a restante massa em formas de papel e fiz queques normais, que os meus piratas levaram hoje para a escola.
Seja em forma de madalena ou de queque, são uns bolinhos macios e leves com um suave sabor a laranja que se devoram ao lanche.

Para uma experiência mais gulosa, e porque laranja e chocolate são uma dupla imbatível, experimente mergulhá-las em chocolate...

//


To bake madeleines has been something I wanted to try for a long time.
Not so much because of the recipe, but because they have a lovely shape.

The origin of the name is not consensual, but some say it is due to an eighteenth-century French cook named Madeleine Paulmier.
The truth is that these sweet little shells are an ex-libris of French pastries, having become even more famous after Marcel Proust has told eloquently in his book "In Search of Lost Time," how he went back to his childhood after eating a madeleine.

There are many recipes for madeleines and I think it is difficult to know which is the most genuine. Some include almond or walnut flour, but the common point is a light and simple cake batter, often flavored with lemon or orange zest.

To make these, I adapted a recipe from a Vaqueiro's book and quite liked the result.
After having filled my 9 madeleines pan, I poured the remaining batter into paper cases and bake  regular muffins that my little pirates took to school today.
Muffin or madeleine shaped, these little cakes are soft and light, with a mild orange flavor that makes us want to devour them all at snack time.

For a more greedy experience, and because orange and chocolate are an unbeatable team, try dipping them in chocolate...





























Madalenas de laranja
(adaptado do "Livro de Receitas de Pastelaria e Sobremesas" da Vaqueiro)

150 g de açúcar
75 g de manteiga ou margarina derretida
75 ml de óleo vegetal
Raspa de 1 laranja
4 ovos
200 g de farinha com fermento
Açúcar em pó para polvilhar

Ligar o forno nos 220º.
Bater o açúcar com a manteiga, o óleo vegetal e as raspas de laranja.
Juntar os ovos, um a um, batendo bem entre cada adição.
Envolver a farinha.
Verter nas formas previamente untadas, ou em forminhas de papel e levar a cozer cerca de 10 minutos.
Polvilhar com açúcar em pó antes de servir.

//

Orange madeleines
(adapted from "Livro de Receitas de Pastelaria e Sobremesas"- Vaqueiro)

150 g of sugar
75 g of melted butter or margarine
75 ml of vegetable oil
Zest of 1 orange
4 eggs
200 g self-raising flour
Icing sugar for sprinkling

Preheat the oven to 220 º C.
Whisk the sugar with the butter, vegetable oil and orange zest.
Add the eggs, one at a time, beating well between each addition.
Add the flour.
Pour the batter into the greased madeleines pan or muffin paper cases and bake about 10 minutes.
Sprinkle with icing sugar before serving.



25 comentários

Comentar post

Pág. 1/3

Teresa Rebelo

foto do autor

Sigam-me

TOP 100 Food Bloggers

TOP 15 Blogs de Culinária Portugueses

Featured on

Bloglovin

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D