Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Lume Brando

25
Jun09

Ainda as memórias alentejanas.

Para não me esquecer das receitas provadas aqui, retidas mentalmente, tenho vindo a pô-las em prática.

A entrada que se segue - curgete com queijo roquefort - não ficou bem à primeira, ou melhor, o molho precisou de duas tentativas, pois da primeira vez ficou fortíssimo, com demasiado quejio! Feitas as correcções, ficou óptimo.

O arroz de laranja, esse, está no meu top five de "arrozes" para acompanhamento. Aromático, saboroso e muito fácil de fazer. Desta vez fi-lo para acompanhar pato (uma receita que já não fazia há muito e que postei aqui nos primórdios deste blog), uma vez que pato e laranja formam um clássico. Mas também já experimentei com carne de porco e ficou muito bem. Se a memória não me falha, quando o comi da primeira vez foi-me servido com borrego. A receita do arroz segue no post de baixo.

Entrada de curgete e queijo roquefort





Para 4

1 + 1/2 curgete
100 ml de natas (1/2 emb., ou mais um pouco se o molho ficar muito grosso)
1 iogurte natural
1 colher de sopa de queijo roquefort (o melhor é ir acrescentado o queijo ao molho e ir provando)
Pimenta preta
Sal
Pão integral ralado (ralado preferencialmente em casa, para ficar tipo migalhas finas e não pó)

Cortar a curgete em rodelas muito finas (a receita original é cortar em tiras na fiambreira, mas eu cortei às rodelas numa mandolina. Com uma certa dificuldade, é certo, porque volta e meia a curgete, que não é propriamente firme, encravava na lámina), dispô-las num prato de ir ao forno e temperar com um pouco de sal. Numa taça, juntar as natas, o iogurte, um pouco de pimenta preta moída na altura e o queijo e mexer bem com o batedor de varas. Verter por cima da curgete, espalhando bem. Polvilhar com o pão ralado e levar ao forno para assar a curgete e tostar o pão ralado, aí uns 20/25 minutos, dependendo do forno.

Teresa Rebelo

foto do autor

Sigam-me

TOP 100 Food Bloggers

TOP 15 Blogs de Culinária Portugueses

Featured on

Bloglovin

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D